Acreanos protestam contra modificação da lei anticorrupção

Publicado em 30 de novembro de 2016 às 14h:50

Por Mário Célio

A Câmara dos Deputados aprovou, durante votação que varou a madrugada desta quarta-feira, 30, o pacote de medidas anticorrupção, oriundo da campanha Dez Medidas contra a Corrupção, do Ministério Público Federal com o apoio da sociedade, porém incluiu no texto uma emenda que estabelece crime de responsabilidade para juízes e integrantes do Ministério Público. A proposta será encaminhada agora ao Senado.miseis1_votos_1
Dos oito deputados federais do Acre, sete foram a favor. O único que disse não à modificação da proposta inicial contra a corrupção foi o deputado Major Rocha (PSDB).

Nas redes sociais, a reação contra os políticos que disseram sim ao projeto foi imediata.
“O que a Câmara Federal fez com o povo brasileiro durante esta madrugada foi uma grande covardia. Tem deputado do Acre que deveria ao menos pedir desculpas ao nosso povo, pela frouxidão, falta de coragem em dizer não a tantos bandidos disfarçados de representantes da nação”, postou o professor Valcirley Machado.

“Projeto com 2 milhões de assinaturas de cidadãos, apoiado por procuradores públicos, foi desfigurado na Câmara. O presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu o resultado. Agora, texto vai para Senado. Ratos!”, disse o assistente social  Carlos Gomes.

Vendo a repercussão negativa nas redes sociais, o deputado Moisés Diniz (PcdoB) tratou de justificar o seu voto pela modificação da lei. “Eu votei para que todos sejam iguais perante a lei”.

“Você acha justo um juiz que colabora com o crime organizado, receber como castigo a aposentadoria compulsória? Enquanto os pobres vão pro presídio depois que rouba uma bicicleta? Eu votei para que todos sejam iguais perante a lei. E tenho honra por esse voto”, disse o comunista.

Compartilhar

Comente essa matéria