EM FEIJÓ: Desembargadoras ministram palestras educativas a crianças e jovens Eva Evangelista e Regina Ferrari levaram lições de tolerância, respeito, conscientização, solidariedade e cidadania efetiva.

Publicado em 13 de dezembro de 2017 às 18h:52

Por Mário Célio

As desembargadoras Eva Evangelista e Regina Ferrari conduziram uma série de palestras voltadas à prevenção e conscientização sobre a violência no âmbito escolar e familiar. Jovens, adolescentes e crianças do Município de Feijó tiveram acesso a diversas lições de cidadania, respeito, tolerância e solidariedade, que podem fazer a diferença na sociedade de hoje e do amanhã.

Os membros do Tribunal de Justiça do Acre estiveram tanto na Escola de Ensino Médio José Gurgel Rabello quanto no Fórum Quirino Lucas de Morares. Ao todo, pelo menos 210 pessoas participaram das atividades de cunho pedagógico e social.

Âmbito escolar

Presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC), a desembargadora Regina Ferrari esteve na Escola José Gurgel Rabello, onde falou sobre o Programa Eleitor do Futuro. Ao interagir com os alunos, a magistrada lembrou a importância do voto na consolidação do processo democrático, e na construção de uma cidadania efetiva.

Ela também enfatizou que os adolescentes e jovens são diretamente responsáveis pelos rumos do Estado e do País, razão pela qual precisam despertar para a consciência política e educação.

Não menos importante, a desembargadora alertou sobre a crítica situação de violência vivenciada no Acre e no Brasil.

De acordo com o Atlas da Violência 2017 do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a taxa de homicídios no Estado era de 18,5 em 2005. Mas neste ano subiu para 27,0, o que corresponde a um aumento de expressivos 45,9%.

Nesse sentido, Regina Ferrari conclamou os estudantes a cultivar valores como respeito, tolerância, alteridade (que é colocar-se no lugar do outro) e amor ao próximo, a fim de que a convivência em sociedade seja mais pacífica e harmoniosa.

“Ninguém nasce com a violência introjetada. Somos senhores do nosso destino”. “Se podemos ensinar a odiar, podemos ensinar a amar”, finalizou, ao citar o líder africano Nelson Mandela.

Encontro especial

Ainda no mesmo colégio, outra turma teve a oportunidade de receber tanto as lições do Eleitor do Futuro quanto do Projeto de Conscientização sobre Violência Doméstica e Familiar nas Escolas.

A atividade teve caráter especial, na medida em que propiciou o encontro entre a desembargadora Eva Evangelista e Regina Ferrari.

“Nunca pensei que estaria aqui hoje. Há exatos 13 anos estivemos, nós duas, em Feijó, cumprindo missão de trabalho. Agora, temos a oportunidade de falar a um público tão especial, e contribuir com plantando as tâmaras, para cultivar no porvir uma vida mais digna, justa e igualitária em nosso meio”, disse a desembargadora Eva Evangelista.

A decana da Corte de Justiça Acreana ressaltou que os jovens poderiam ser o que quisessem na vida, mas que para isso seria necessário investir nos estudos, na educação, e no esforço e dedicação – direcionados aos melhores ideais coletivos, e conquistas individuais.

Ao abordar o tema da violência doméstica, a desembargadora – na ocasião presidente do Tribunal de Justiça em exercício -, chamou atenção para o fato de que o Brasil é o quinto País mais violento do mundo, e, o Acre, o Estado mais com maior índice de violência no território nacional.

De maneira didática, explicou que uma a cada três mulheres é vítima desse tipo de crime, quais os tipos de violência, e como os adolescentes e jovens podem contribuir para mudar esse cenário.

“Precisamos de uma sociedade mais justa e fraterna, na qual todos possamos nos entender”, frisou Eva Evangelista, que também é coordenadora estadual das mulheres em situação de violência doméstica e familiar.

O juiz de Direito Alex Oivane, titular da Vara Criminal da Comarca de Feijó, participou ativamente de todas as atividades. Ele agradeceu pela presença das autoridades do Tribunal de Justiça Acreano. “É um dia histórico, que nos motiva a continuar desenvolvendo esse trabalho social que, esperamos, traga frutos. Cada um de vocês tem essa responsabilidade”, completou.

O coordenador de ensino, professor Elonilson Parente, lembrou que “não há limites de ascensão profissional para os estudantes, desde que não percam o foco e tenham objetivos claros, saibam aonde querem chegar”. Ele também enalteceu a presença dos membros do Tribunal.

Bombeiro-mirim

Já no Fórum Quirino Lucas de Morares, a agenda envolveu os alunos formandos do Projeto Bombeiro Mirim, desenvolvido pelo Corpo de Bombeiros Militar do Acre (Cbmac), e que tem o apoio do Judiciário Estadual.

O encontro resultou em palestras, tendo a presença dos servidores locais. “Obrigado por estarem aqui, vocês são nosso alicerce”, afirmou a desembargadora Eva.

O Projeto incentiva os estudos, ensina os pequenos a terem melhor comportamento em casa, e a lidarem com diversas situações práticas do dia-a-dia. Também são repassadas instruções de como salvar vidas, conduta, ordem, disciplina, educação de trânsito, etc.

Ao pedir que os alunos refletissem e anotassem em papel os sonhos que pretendem realizar ao longo da vida, a desembargadora Regina citou diversos exemplos – inclusive de sua própria história -, de como poderiam vencer na vida dependendo apenas de si mesmos.

Ao final, a magistrada pediu que menores e adultos se abraçassem, em uma demonstração de que o afeto e o altruísmo são capazes de superar o ódio, o medo, e a violência. “Semeiem o bem, acreditem no amor”, assinalou.