EUA: Trump pode ser eleito por algo que ele tem em comum com Obama

Publicado em 07 de novembro de 2016 às 20h:24

Por Mário Célio

trup1Às vésperas da eleição, Donald Trump está muito perto de vencer, e na verdade existe somente uma razão para isso: entre os eleitores brancos sem curso superior, ele lidera por uma ampla margem.

Pesquisas nacionais recentes apontam que Trump está à frente de Hillary Clinton com 59% contra 30% entre esse grupo. É uma vantagem maior do que os 57% contra 35% que Mitt Romney teve entre esses eleitores nas últimas pesquisas de 2012.

A vantagem de Trump nesse grupo foi sozinha suficiente para anular quatro anos de uma migração do voto de hispânicos e de eleitores brancos com nível superior a favor dos democratas.

Ele até conquistou simpatizantes entre alguns dos mesmos eleitores brancos que apoiaram Barack Obama em 2008. Isso sugere que Trump e Obama podem ter mais em comum do que as pessoas possam imaginar. Pelo menos de um ponto de vista político.

Se Trump vencer a eleição presidencial, essa terá sido a razão. Foi um padrão consistente ao longo do ano. Sempre que Trump entra em uma disputa apertada com Hillary, é porque ele consegue de lavada os votos entre eleitores brancos da classe trabalhadora.

Na última semana, uma análise da votação antecipada deixou claro que a participação eleitoral será mais do que suficiente para que um democrata vença uma eleição presidencial. A participação latina será alta. A participação negra talvez não atinja os mesmos níveis de 2012, mas não será tão baixa a ponto de alguém culpar a participação negra por uma derrota de Hillary.

Mas a força de Trump entre a classe trabalhadora branca lhe dá uma verdadeira chance de vitória, uma possibilidade que muitos desconsideravam até o último verão. Ele poderia conquistar votos de colégios eleitorais sem vencer o voto popular através de vitórias apertadas em swing states do meio-oeste ou do norte como Wisconsin e New Hampshire, onde os democratas dependem de apoio entre eleitores da classe média baixa. A força de Trump entre esse grupo pode até ser suficiente para que ele vença na Flórida, onde o abundante apoio a Hillary entre eleitores latinos quase condenaria um republicano.

COMPARTILHAR