Governo inaugura em Feijó moderna maternidade “Nair Correia de Araújo” A maternidade é, obviamente, um dom de Deus e uma expressão clara da identidade divina.

Publicado em 20 de julho de 2017 às 22h:56

Por Mário Célio

O Governo do Estado do Acre contempla nesta sexta-feira (21), os munícipes feijoense, com a mais moderna maternidade do vale do Juruá. Suas instalações são de última geração e equipada com os seguintes ambientes: Sala de espera, alojamento conjunto, sala de exame, sala de Pré e Pós-Parto, sala de repouso dos funcionários, posto de enfermagem, sala de preparo de medicamentos, sala de assistência ao recém-nascido, rouparia e bloco de oxigênio e ar comprimido.

Outro indicativo importante para a obra é que ela atenderá todas as exigências sanitárias recomendadas através das novas portarias exigidas pelo Ministério da Saúde. Na hora do parto outra novidade: a mãe parturiente poderá escolher uma pessoa de sua confiança para acompanhá-la. Aliás, os leitos já são adaptados para que o acompanhante da gestante esteja presente no pré-parto.

Para o Diretor do Hospital, Arnaldo Carolino, “Com os investimentos, de R$ 2,9 milhões, a maternidade Nair Correia de Araújo vai estar capacitada para atender procedimentos de alto risco, o que não acontecia anteriormente.

Temos agora condições de atender mais gente já que o número de leitos foi ampliado. Antes, quando o parto era considerado de alto risco, tínhamos que encaminhar a mãe ou filho para cidade vizinha de Tarauacá, e agora isso não vai mais acontecer porque o governo do estado, através da secretaria de saúde irá disponibilizar profissionais qualificados para atender a esse tipo de caso”, completou.

A nova maternidade de Feijó, recebe o nome de Nair Correia de Araújo, mãe do primeiro governador escolhido pelo voto popular, após a criação do estado em 1962.

Nair Correia de Araújo Nasceu em Cruzeiro do Sul, município do Estado do Acre (à época Território Federal do Acre) no dia 19 de maio de 1.903.

Filha do Seringalista Coronel João Correia de Sena Júnior e de Dona Rosa Amélia Barbosa de Sena. Estudou na Escola “Craveiro Costa” em Cruzeiro do Sul. Tendo concluído o curso primário, fez, posteriormente, um curso de aperfeiçoamento, voltado par à docência de estagiária.

Em 16 de setembro de 1.920, foi nomeada Professora Estagiária pela Prefeitura Municipal de Cruzeiro do Sul, para lecionar no Grupo Escolar “Barão do Rio Branco”, onde atuou até 1.924. Em janeiro de 1924 foi nomeada pela Portaria nº 02 para o cargo de Professora da Escola “Craveiro Costa” em Cruzeiro do Sul tendo aí lecionado até o final do ano letivo de 1.938.

Em 1.21, no dia 19 de maio casou-se com o Senhor Raimundo Augusto de Araújo, nascido no distrito do Saboeiro – Crato, no Ceará.

Desse matrimônio nasceram, os filhos:

Rômulo Augusto de Araújo, João José Correia de Araújo, Heitor Correia de Araújo, Regino Correia de Araújo, José Augusto de Araújo, Renee Correia de Araújo, Regina Correia de Araújo, Maria Rosair Correia de Araújo, Dinah Correia de Araújo.

Em 1.939 mudou-se para Feijó, para acompanhar seu marido Raimundo Augusto de Araújo, tendo em vista que este foi nomeado para exercer o cargo de Prefeito desse recém-município, com a incumbência de organizar a administração deste.

Em Feijó, Nair Araújo lecionou no Grupo “Escolar Lourenço Filho” e em 1943, foi nomeada em Comissão para o cargo de Diretora Padrão “G”, com função gratificada nessa mesma instituição. Mais tarde, passou a exercer essa mesma função no Grupo Escolar “Prefeito Raimundo Augusto de Araújo”. Foi aposentada através do Decreto nº 35 de 24 de março de 1.956.

Ainda em Feijó, Nair Correia de Araújo, exerceu o cargo de Presidente da Legião Brasileira de Assistência – LBA, função que era exercida pelas esposas de prefeitos municipais.

Vale ressaltar que mesmo antes de exercer essa função oficial, a Professora Nair, ao lado de seu marido, já se dedicava, com especial atenção, às causas da população carente, do município, assistia-as na saúde e na doença, procurando amenizar suas dores e/ou diminuir suas dificuldades.

Desse modo, conquistou o carinho e o respeito dessa população menos favorecida. Em que pese ter deixado essa Presidência, nunca deixou de prestar serviços filantrópicos comunitários e assistência social ao povo de Feijó. A Dona Nair era amada pela grande maioria da população feijoense. Em 1.964, mudou-se para Manaus, onde permaneceu em autoexílio até sua morte.