Idoso é condenado a mais de 34 anos por estuprar netas

Publicado em 17 de novembro de 2016 às 18h:22

Por Mário Célio

Um homem de 73 anos foi condenado a mais de 34 anos de prisão por abusar de três netas. A sentença, pelo crime de estupro de vulnerável, é resultado de uma denúncia feita pelo Ministério Público do Acre (MP-AC) e aceita pela Vara Criminal da Comarca de Brasileia, interior do Acre, onde o caso ocorreu. A sentença cabe recurso.

A decisão foi tomada em outubro, porém, foi divulgada apenas nesta quarta-feira (16), pelo MP-AC. Das três vítimas, uma foi abusada pela primeira vez quando tinha 10 anos, em 2004. As outras, de 3 e 7 anos, são prima e irmã, respectivamente, da primeira jovem.

Os abusos teriam iniciado quando a neta, na época com 10 anos, foi morar na casa dos avós, por causa da morte da mãe dela. Os abusos teriam durado seis anos e acabaram quando a adolescente fugiu da casa dos avós para morar com uma tia.

Atualmente a vítima tem 21 anos. “As pessoas não acreditavam nela, inclusive a avó. Chegou a ser agredida para não falar. Foi um caso bem chocante”, disse a promotora responsável pela denúncia, Maria de Fátima.

A promotora contou ainda que o crime só foi denunciado às autoridades após um filha do idoso, mãe da menina de 3 anos, descobrir os abusos do pai. Ela também teria sido estuprada por ele na infância.

“A mãe da menor chegou em casa e viu ele sem roupa e a criança em cima da cama também sem roupa. Ela ficou desesperada. Descobrimos que também tinha sido abusada, mas nunca denunciou. Ela foi atrás da menina [sobrinha de 21 anos], que contou tudo em detalhes. A menina de 3 anos também contou detalhes”, revelou.

A menina de 7 anos também teria contado como era abusada pelo avô. A promotora diz que as duas vítimas menores eram abusadas quando iam para a casa do agressor. Maria de Fátima acrescentou que pediu a prisão do idoso quando fez a denúncia, mas o juiz alegou que não tinha provas suficientes.

“Os pais têm que ouvir os filhos. A avó até hoje não acredita. Fala que inventaram. Agora certamente vai ser preso”, concluiu.

Fonte: G1/acre

COMPARTILHAR