Maiores frigoríficos do país são alvos da PF; delegado do G7 lidera operação

Publicado em 18 de março de 2017 às 16h:29

Por Mário Célio

A Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã desta sexta-feira (17), a operação denominada “Carne Fraca” nos estados de São Paulo, Distrito Federal, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Goiás. Gigantes do setor de alimentos no país, como a JBS, controladora da Friboi e Seara, e a BRF, que comanda as operações da Sadia e Perdigão foram os principais alvos dos agentes da PF.

O delegado que está à frente da operação é Maurício Moscardi, o conhecido delegado do caso G7, operação que desarticulou quadrilha suspeita de fraudar licitações no Acre.

Além dos grandes frigoríficos, a investigação mira também fiscais do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) em um esquema de liberação de licenças e fiscalização irregular.

Em sua decisão, o juiz federal Marcos Josegrei da Silva, da 14ª Vara Federal de Curitiba, diz que o envolvimento do Ministério da Agricultura é “estarrecedor”.
“(O ministério) foi tomado de assalto, em ambos os sentidos da palavra, por um grupo de indivíduos que traem reiteradamente a obrigação de servir à coletividade”, afirmou.

O nome da operação faz alusão à conhecida expressão popular em sintonia com a própria qualidade dos alimentos fornecidos ao consumidor por grandes grupos corporativos do ramo alimentício.Conforme a PF, a expressão popular demonstra uma fragilidade moral de agentes públicos federais que deveriam zelar e fiscalizar a qualidade dos alimentos fornecidos a sociedade.

 

Compartilhar

Comente essa matéria