Enfermeira da unidade hospitalar de Feijó é denunciada por prática delituosa.

Publicado em 04 de outubro de 2017 às 17h:45

Por Mário Célio

O Ministério Público do Acre, por intermédio do Promotor de Justiça, Dr. Ocimar Junior, com fundamento no artigo 129, inciso I, da Constituição Federal e artigo 24 do código de processo penal, com base no incluso inquérito policial ofereceu denúncia contra a enfermeira da unidade Hospitalar de Feijó, Denizie Pereira da Costa por deixar de prestar assistência, quando possível faze-lo sem risco pessoal, à pessoa ferida, ao desamparo ou em grave ou eminente perigo, sendo a vítima, o agricultor Francisco das Chagas Inácio Correia de 48 anos, morador do Seringal Benfica, Colônia Nova Vida.

Conforme esclarece os autos investigatórios, a vítima estava ferida na mão esquerda e por residir em área distante de Feijó, não procurou atendimento médico, o que ocasionou uma infecção. Devido o agravamento da situação resolveu procurar o Hospital da cidade.

Segundo apontam as investigações, a enfermeira Denizie não teria permitido que a vítima fosse atendida sem apresentação do cartão do SUS, mesmo tendo tomado conhecimento da gravidade do ferimento exposto na mão esquerda de Francisco. Consta ainda nos autos que à atendente Fátima Carvalho Cordeiro tentou os procedimentos da ficha cadastral, mais foi impedida pela enfermeira Denizie.

De acordo com os autos do processo, no dia 6 de março de 2017, o Ministério Público propôs a aplicação imediata de pena restritiva de direitos ou multa, nos termos da proposta de transação penal da Lei nº 9.099, não sendo aceita pela autora da infração.

Diante dos fatos narrados no processo, a enfermeira Denizie deverá ser processada pela justiça de Feijó e possivelmente a indisponibilidade da função pública na área de saúde.

COMPARTILHAR