Naluh Gouveia mandou TCE pagar almoço que custou R$ 7,5 mil

Publicado em 24 de janeiro de 2017 às 22h:11

Por Mário Célio

Não bastasse os altos salários recebidos pelos conselheiros do Tribunal de Contas do Acre (TCE), os servidores do órgão foram agraciados com um almoço de confraternização que custou R$ 7,5 mil aos cofres da Corte de Contas. Um documento encaminhado a então presidente do órgão, Naluh Gouveia, foi enviado ao ac24horas em forma de denúncia.

Segundo consta na comunicação interna nº 419/2016, a chefe da Diretoria de Administração e Finanças, Mirla de Oliveira Lopes de Holanda e Sousa, pediu autorização à Presidência do órgão para usar R$ 7,5 mil dos recursos da instituição no pagamento da empresa A. Knochel. Imp. e Exp. –ME, que seria a responsável pela organização do almoço.

No sitio eletrônico do Tribunal de Contas do Acre, imagens mostram o almoço oferecido aos servidores da Corte. Naquele dia, houve também o sorteio de brindes aos funcionários da instituição, o que, segundo apurou o portal, foi oferecido pelos sindicatos dos colaboradores do órgão, que teriam custeado a diferença do almoço que, no final das contas, saiu por R$ 12 mil.

Segundo a conselheira Naluh Gouveia, que à época presidia do TCE, a prática de dividir os custos da confraternização sempre ocorreu na instituição, desde a fundação. Além disso, não há nada ilegal no pagamento, isso porque a lei de licitações foi levada em conta na hora de decidir com qual valor o Tribunal de Contas arcaria.
“São 27 anos e a gente sempre fez essa confraternização, mas para respeitar a lei, o tribunal entra com sete mil e quinhentos, e os sindicato com outra, e a associação com a outra. Alguns fazem fora do tribunal, eu optei em fazer lá mesmo. É uma coisa muito simples. É normal de todas as administrações”, justifica a conselheira.

Ainda segundo Gouveia, “é importante colocar que a documentação [enviada ao ac24horas] é justamente para dar mais transparência às ações da administração do tribunal. Todo cidadão pega essas informações do próprio sistema. Foi tudo muito simples com os servidores, e alguns levaram até a família”, completa.

COMPARTILHAR