Vereador de Brasileia teve os direitos políticos cassados pelo TRE

Publicado em 12 de dezembro de 2016 às 15h:14

Por Mário Célio

O presidente da Câmara de Vereadores de Brasileia, vereador Mário Jorge Fiesca (PMDB), foi condenado pelo crime de abuso de poder econômico. A decisão foi assinada pelo juiz eleitoral Gustavo Sirena, da 6ª Zona. O vereador, então candidato, teria tido conversas telefônicas interceptadas, onde conversava com a funcionária de uma drogaria da cidade para trocar votos por remédios.imagestelefone Na visão do magistrado, segundo informou o site O Alto Acre, caracterizou-se a ilicitude para que estivessem embasados os crimes e o juiz desse uma sentença. Uma lista de medicamentos, escutas telefônicas e depoimentos levaram o Ministério Público a reforçar a representação contra o vereador.

Os advogados do vereador alegam que não houve abuso de poder econômico. Ele pede que os investigadores provem que as denuncias tenham influenciado nos resultados do pleito eleitoral. Mario Jorge ficará inelegível por oito anos e terá que pagar multa no valor de R$ 10 mil. A funcionária da farmácia também foi condenada.

Compartilhar

Comente essa matéria