Após 16 anos, Acre poderá ter uma mulher senadora se Gladson for eleito governador

Ela é estudante de direito, tem 12 anos de vida política-pública, foi primeira dama, secretária de articulação institucional e da Assistência Social no executivo municipal em Senador Guiomard. Estamos falando em Mailza Gomes (PP), esposa do ex-prefeito James Gomes que é suplente do senador da república, Gladson Cameli (PP).

Mailza esteve presente na cerimônia de anúncio de pré-candidatura a vice-governador na chapa majoritária da oposição a qual elevou o nome do deputado Major Rocha (PSDB) e conversou com a reportagem de A Folha do Acre a qual informou: “Estou preparada para assumir”.

Por conta das eleições e cumprindo as regras eleitorais, Gladson Cameli pode pedir afastamento do senado caso seja eleito e assuma o governo, no seu lugar fica Mailza Gomes para um mandato popularmente chamado de tampão. Sobre os preparativos para os trabalhos no congresso, caso ele seja eleito, ela informou que “já estamos analisando (….) Estou pronta para trabalhar”.

“Eu gosto da área social, mais claro que não vou exclusivamente falar sobre isso no senado. No mundo atual, precisamos falar de tudo, tudo é importante, saúde, educação, segurança pública, enfim, acho que o nosso trabalho em prol de uma melhoria total para o país”, disse ela sobre as bandeiras que pretende levantar em Brasília, sede do poder legislativo brasileiro.

Mailza e o esposo James Gomes

Sobre o sentimento de representar o estado através do mandato de senadora, cargo esse que estado do Acre não tinha há 16 anos, Mailza revelou que está confiante. “Estou me preparando muito. É uma questão muito forte em representar o Gladson, suas causas no senado. Ele é muito bem conceituado, muito bem avaliado. Não é um papel fácil e tranquilo por essa questão. Vou fazer o possível para trabalhar e honrar esse privilégio que é de representar o estado”, comentou.

Apesar da preparação, ainda não há uma conversa afiada entre Cameli e Mailza, no entanto, ela acredita que ambos vão definir pautas no senado nos próximos dias e que o foco no momento é a campanha eleitoral a ser realizada em outubro tendo em vista que só a vitória de Cameli e consecutivamente assumindo o executivo acreano, a universitária, de fato, possa ser empossada no cargo.

“Muitos assuntos serão debatidos num possível encontro realizado nos próximos dias. O foco agora é a campanha, o foco é trabalhar as eleições, é trabalhar nossa vitória”, finalizou.

Em sua história, o Acre teve apenas uma senadora da república eleita pelo voto popular, Marina Silva hoje da Rede Sustentabilidade. Ela ficou no cargo por dois mandatos (1994 e 2002). De lá para cá ainda não houve, no voto direto ou suplência, a participação feminina no cargo