Despetização pode levar Gladson a perder secretário de Educação

Caso o governador Gladson Cameli (Progressistas) leve à risca sua promessa feita por meio de uma mensagem de voz no WhatsApp – e divulgada por ac24horas no sábado (5) – de que a despetização na estrutura do estado é uma ordem sua e que será colocada em prática, ele precisará fazer cortes logo no primeiro-escalão.
Pesquisa feita por ac24horas junto ao sistema de filiação partidária do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostra que o secretário de Educação, Mauro Sérgio Ferreira da Cruz, é filiado ao Partido Socialista Brasileiro (PSB), longeva legenda aliada do PT na Frente Popular do Acre nos últimos 20 anos.
A informação preliminar foi tornada pública a partir de uma postagem feita por Missilene Neri, irmã da prefeita de Rio Branco, Socorro Neri (PSB). A filiação do secretário ao PSB foi confirmada por checagem feita pela reportagem. No sistema do TSE, Mauro Sérgio tem a filiação classificada como regular.
“Pergunta que não quer calar: Quem indicou, avalizou e levou ao governador o nome do Mauro para ser o gestor da Secretaria de Educação?”, questiona, na postagem, Missilene Neri.
Além dele, a publicação mostra que outros nomes da atual equipe da Secretaria de Educação e Esporte (SEE), em especial da que trata da educação especial – estavam até o ano passado vestidos de vermelho nas campanhas eleitorais do PT.
A manutenção de petistas dentro da SEE também já foi alvo da reclamação de Rosana Nascimento (PPS), aliada de Gladson Cameli e presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), maior entidade sindical do estado.
 
Na mensagem, o governador disse já estar chateado com as frequentes cobranças de despetização em seu governo, e que aliados que balançaram a bandeira da outrora oposição serão abrigados na estrutura do estado.