Famílias de 29 servidores da prefeitura de Rio Branco são contemplados com benefício ilegal do bolsa família

Fiscalização da Controladoria Geral da União aponta que servidores da prefeitura de Rio Branco receberam recursos do bolsa família durante todo os ano de 2017, período do levantamento. Ao todo 29 famílias de funcionários do município estão recebendo do programa do governo federal, que tem a prefeitura como a responsável pelo cadastramento das famílias que serão beneficiadas.

A CGU não repassou os nomes dos servidores beneficiados de forma ilegal, apenas os registros das famílias cadastradas, mas tras no levantamento o valor dos salários mensais. Tem servidor que percebe mais de R$ 3.000,00 por mês e mesmo assim tinha um repasse mensal do bolsa família.

A CGU descobriu o esquema quando confrontou os dados da folha de pagamento do município com o cadastro do programa.

O programa bolsa família foi criado para atender famílias em situação de pobreza e extrema pobreza com renda mensal de até R$ 170,00. No ano de 2017, mais de 28.000 famílias em Rio Branco foram cadastradas e chegou a movimentar naquele ano R$ 5 milhões.

No levantamento da CGU foram reveladas diversas irregularidades, além do repasse para servidores.

Um dado interessante é que 13 famílias possuíam veículos que no mercado estavam avaliados em mais de R$ 60 mil. Na lista estavam camionetes Hilux, amarock e e veículos de luxo como corolla.

Ainda foram encontradas famílias que recebiam paralelamente o repasse do bolsa família e tinham imóveis alugados ou já recebiam algum tipo de pensão, auxílio doença e uxílio reclusão.

A controladoria selecionou 31 famílias para visitar, no entanto, só conseguiu chegara metade delas. As outras 50% não foram encontradas nos endereços informados.

O relatório foi entregue a secretaria de ação social para que regularize a situação. Cópias foram enviadas para Ministério Público Federal e Polícia Federal para investigar porque a prefeitura permitiu tantos pagamentos ilegais.