Feijó tem mais de 300 desabrigados e posto de combustível é desativado pela cheia do Envira

O Rio Envira, que passa pelo município de Feijó, é mais um a transbordar no estado do Acre em 2021. Na cidade com quase 35 mil habitantes, há atualmente cerca de 300 pessoas desabrigadas pela cheia do rio, tanto na zona urbana como rural. Nesta quinta-feira, 18, o manancial apresentou mais uma elevação, chegando a surpreendentes 13,73 metros.

Por conta do alto nível da água provocado pela cheia, um posto de combustível da Petrobras, localizado na rua Contorno Beira-Rio, está desativado há dois dias. “Inundou tudo. É crítica a situação. A água invadiu os tanques de combustível. Tivemos que esvaziar tudo e depois fechar os tanques”, diz um dos sete funcionários do local, o frentista Cristiano Menezes.

As três bombas do estabelecimento estão fechadas e o proprietário não tem expectativas de quando o posto deverá voltar a funcionar, uma vez que mesmo após vazante do rio, terão de lavar todos os tanques.

O prefeito de Feijó, Kiefer Cavalcante, afirma que o rio Envira está na cota de alerta, próximo de alcançar ponto de emergência. “Há muito tempo não subia tanto. Muitas pessoas desabrigadas. Estamos fazendo nossa parte com o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil”

Segundo ele, o rio subiu mais 30 centímetros de ontem para hoje, mas a previsão é de baixa a partir desta sexta-feira. “Estamos conseguindo água do Depasa para mandar para comunidades indígenas e colonos que foram atingidos e tomando medidas cabíveis para tirar as pessoas desse sufoco e momento tão difícil que estamos passando”, diz o prefeito.

Mais de 300 pessoas já estão desabrigadas em Feijó. Muitas se mudaram para casa de parentes e outras persistem em ficar em casa em meio à alagação, informou a prefeitura.