Juruna sai minutos antes da câmara e escapa da polícia

Vereador da Câmara Municipal de Rio Branco, José Carlos dos Santos, mais conhecido como “Juruna”, do Partido Social Liberal (PSL), saiu de sessão na manhã de quarta-feira, 15, em fuga da polícia civil. Minutos após a saída do parlamentar, cerca das 10h e 30min, homens da polícia civil chegaram ao local para cumprir o mandado de prisão do vereador

.

A equipe comandada pelo delegado Pedro Henrique Resende interditou a saída do prédio, adentrou a câmara em busca de Juruna, mas não o encontrou. A informação é de que o parlamentar teria sido avisado do cumprimento do mandado por assessores, minutos antes da chegada dos policiais.

O mandado expedido no dia 10 deste mês visa à prisão do vereador por inserção de dados falsos em sistema de informação, tráfico de influencia, falsificação de documento público, corrupção ativa, peculato e falsidade ideológica. O documento foi expedido pelo magistrado Danniel Gustavo Bomfim, pela 1ª Vara Criminal.

Os crimes do vereador foram cometidos enquanto ele presidia o Sindicato dos Camelôs de Rio Branco.

O presidente da Câmara Municipal de Rio Branco Vereador Manuel Marcos Carvalho de Mesquita (PRB) informa que entrou em contato com Juruna que informou que iria se apresentar a polícia junto ao advogado ainda na quarta-feira, para não ficar com o status de foragido da justiça.

Emerson Jarude, presidente da comissão de ética e vereador eleito também pelo PSL, relata que o vereador Juruna já tinha uma condenação em segundo grau, e que partir desse momento ele tem que cumprir a prisão, com a possibilidade de recorrer.

Ele informa que o artigo 14 inciso sexto do código de estica prevê que a sentença criminal condenatória é motivo de perda do mandado. “Nós vamos fazer cumprir o nossos regimento. E como presidente da comissão de ética e decoro parlamentar esse deve ser meu posicionamento”, ressalta Jarude.