Vereadores da situação, acusam o presidente de transformar a câmara, em balaio de gato

A sessão ordinária desta terça-feira (16), na Câmara Municipal de Feijó foi um verdadeiro “Balaio de gato” com direito a troca de farpas e acusações. Vereadores que ostenta a situação acusam o presidente da câmara, o peessedebista Cabeludo, de permitir que a imagem do poder legislativo seja desmoralizada diante da opinião pública.

Eles citam que os parlamentares de oposição xingam gritam e fazem badernas aos olhos do presidente, mais nunca foram advertidos em conformidade como o regimento da casa.

Segundo os vereadores: Mundoca, Rosaldo, Zé Maria e Terezinha, a situação se envereda para uma crise institucional promovida pela falta de habilidade da presidência, em conduzir o parlamento mirim. A coerência e questões de ordens, são quesitos ignorados pela presidência, mais palavra de baixo calão, são costumeiramente ouvidas e permitidas durante as sessões. E para piorar ainda mais a situação, os vereadores alegam que a câmara está desconstituindo o regimento interno para atender os interesses de uma emissora de rádio local.

Toda essa lambança na câmara de vereadores de Feijó, se deve à falta de gestão, na condução da instituição. Os exemplos ficam claro, quando se verifica a formação de uma comissão destinada a reivindicar ações para o município de Feijó, sem a constituição de um presidente, o que leva a transformar em uma situação parecida com verdadeiro balaio de gato e o resultado não poderia ser diferente diante dos acontecimentos.

Quando os vereadores; Terezinha e Mundoca reclamam da ausência da oposição, nas audiências, estão corretíssimos, já que a câmara paga diárias para prestarem seus serviços à população e não para bajular quem quer que sejam.Esse episódio registrado na câmara de vereadores na última sessão, por conta de uma viatura da polícia militar, ainda vai gerar mais discordância no poder legislativo, principalmente por influência de políticos que querem aparecer a qualquer custo, mesmo sabendo que nunca moveram um dedo para beneficiar os munícipes de Feijó.