Ilderlei Cordeiro tem contas de campanha rejeitadas pela justiça

Publicado em 29 de dezembro de 2016 às 15h:20

Por Mário Célio

As contas da campanha do prefeito eleito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro e de seu vice, José de Souza Lima foram rejeitadas pela juíza eleitoral Admárcia Machado Nascimento da 4ª Zona Eleitoral. Seguindo parecer técnico encaminhado pelo analista designado pelo juízo, as contas apresentaram uma série de irregularidades que ocasionaram a decisão da magistrada que, entretanto, não impede a posse do prefeito e do vice, no dia primeiro.

Entretanto, a decisão foi encaminhada ao ministério Público Eleitoral, que pode pedir a cassação da diplomação e anular o ato de posse, posteriormente. Também, esse fato deve se somar na análise de outro processo, ainda não concluído, que investiga o abuso de poder econômico e outros crimes eleitorais, que culminaram com a prisão de um secretário municipal e um dirigente partidário naquela cidade e que aguarda a sentença da mesma juíza.

A chapa de Ilderlei Cordeiro e Zezinho teve suas contas desaprovadas pelas seguintes razões:

1)      Utilização de recursos próprios que não integravam o patrimônio do declarante no registro da candidatura.

2)      Inconsistência na situação fiscal de fornecedores, revelando omissão quanto á identificação dos reais fornecedores da campanha.

3)      Realização de transferências diretas a outros prestadores de contas, mas não registradas na prestação do candidato.

4)      Omissões relativas aos fornecedores Cardinal Oliveira LTDA. (R$ 19.099,85) e T. Ferreira Souza (R$ 30.000,00),

5)      Despesas com serviços contábeis sem especificação.

6)      Cessão de veiculo por pessoa diferente do real proprietário desse veículo,

7)      Doação de pessoa física que integra quadro acionário de empresa que recebe recursos públicos, o que pode indicar entrada indireta de recursos públicos na campanha.

8)      Doações de funcionários de empresa, o que pode caracterizar doação indireta da própria empresa.

O ministério Público Eleitoral, que já havia se manifestado pela desaprovação das contas, agora deve se posicionar a respeito das ações a serem tomadas, o que pode incluir o pedido de cassação do registro da chapa, com a consequente anulação dos votos destinados a Ilderlei Cordeiro e a cassação de sua diplomação e de seu mandato. Este é mais uma etapa do pesado jogo político na eleição de Cruzeiro do Sul, que reforça a tese de abuso de poder econômico do candidato vencedor, feita por seus adversários.

A juíza eleitoral Admárcia Nascimento, de cruzeiro do Sul rejeitou as contas da campanha da chapa do prefeito eleito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, citando oito graves irregularidades e evidenciando suspeitas que vão de abuso do poder econômico, doações ilegais e possível uso de dinheiro público. A decisão não afeta a posse, no dia primeiro, mas pode gerar posterior cassação do mandato.

Compartilhar

Comente essa matéria