Presidiários fazem greve por sexo

Publicado em 28 de janeiro de 2017 às 08h:50

Por Mário Célio

Presidiários da penitenciária Moacir Prado em Tarauacá iniciaram uma greve de fome nesta sexta feira, 27 de janeiro.

De acordo com o diretor Francisco Edir Oliveira, eles reivindicam melhorias na qualidade da alimentação e aumento do horário de visitas, especialmente, nos dias destinados às visitas íntimas.

Para que não haja desperdício da alimentação rejeitada pelos presos, a direção do presídio está doando para Abrigo Municipal das Crianças e para o Lar Novo Hamburgo (idosos), órgãos da Secretaria de Promoção Social do Município.

“Estamos dialogando com eles e fazendo todo o possível para que essa situação seja logo resolvida. No aspecto da segurança tudo está dentro da normalidade”, disse o diretor.

Em Sena

Um grupo de aproximadamente 10 presos entrou em greve de fome na Unidade Penitenciária Evaristo de Morais.

O Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC) confirmou que os presos exigem que o horário da visita íntima seja ampliado. A segurança no local foi reforçada por agentes penitenciários e pela Polícia Militar do Acre (PM-AC).

O Iapen-AC informou também que o horário de visita dura em torno de duas horas. Os presos exigem que o horário seja ampliado, porém, o Iapen não soube informar quanto tempo a mais os detentos pedem. A direção da unidade negocia com o grupo de presos.

Valquer Oliveira, disse que ainda não sabe informar se os presos são do regime provisório e ou sentenciado. Oliveira acrescentou que os presos recusaram as marmitas no horário do almoço. Atualmente, a unidade possui 360 presos, segundo o chefe da segurança.

Ainda de acordo com Oliveira, os presos teriam anunciado que a greve é por tempo indeterminado. “Acionamos a Polícia Militar e o reforço dos agentes para evitar algo pior. São só alguns. Não são todos”, explicou. Com informações Blog Accioly/G1.

Compartilhar

Comente essa matéria